João Batista, o prefeito que ajudou a transformar Extrema (MG) em uma das cidades mais desenvolvidas do Brasil

Com pouco mais de 30 mil habitantes, a cidade de Extrema (MG) se destaca por um grande crescimento e desenvolvimento ao longo de sua história. Em 2015 foi considerada, pela Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) a cidade mais desenvolvida do Brasil. Ela pulou da 569ª posição para o primeiro posto do ranking, graças a uma série de avanços nas áreas de Educação e Saúde. 

Hoje considerada um importante polo industrial de Minas Gerais, a cidade de Extrema continua em crescente desenvolvimento, principalmente econômico. Somente em 2019, somou-se R$ 1,7 bilhão em aportes privados, com a previsão de pelo menos outros R$ 1 bilhão em 2020, com a instalação ou expansão de negócios na cidade. 

Em 2019, houve uma retomada da economia da cidade, com grandes projetos de expansão industrial e para a cidade. Ao todo, foram 96 empreendimentos, como a Bauducco, que inaugurou sua terceira fábrica no município, desta vez, voltada para a produção de pão de forma. O número superou os anos anteriores, com 68 operações em 2018 e apenas 26 em 2017.

Foto Divulgação

Além disso, grandes grupos empresariais, como Fulwood e Log C, iniciaram a construção do maior parque logístico do Sul de Minas, com um investimento de cerca de R$ 515 milhões, entre outras expansões e instalações.

Com todos esses investimentos, Extrema chegou ao posto de maior economia do Sul do Estado. O município alcançou o posto seguindo um planejamento que se iniciou em 2003, quando 30 entidades civis criaram a Agenda 21 de Extrema, que encerra seu ciclo em 2020.

Segundo o prefeito João Batista, o documento planejava o desenvolvimento da cidade em várias esferas e tinha o objetivo de tornar a cidade um polo de desenvolvimento econômico e social. 

“Presenciamos ao longo dos anos um crescimento sustentável, orgânico e sólido obtido por meio da combinação dos diferenciais internos (localização privilegiada, agilidade nos processos públicos, infraestrutura de qualidade, investimento em qualificação profissional) com os externos (incentivos tributários estaduais, facilidade no diálogo com governo estadual) para criar um ambiente acolhedor”, diz.

Vida dedicada a Extrema

Contador e político mineiro, João Batista da Silva iniciou seu trabalho na prefeitura de Extrema em 1991 como office boy, quando tinha apenas 17 anos de idade. Desde então, com muita dedicação galgou degraus, chegando a ser Diretor da Fazenda e depois Controller Público.

Foram 21 anos dedicados à municipalidade, assumindo papéis importantes para que o município atingisse lugar de destaque no estado – garantindo o 1º colocado em desenvolvimento municipal de Minas Gerais e 1ª melhor cidade para se viver em Minas. 

Foto Gazeta da Cidade

Todo seu trabalho foi baseado em planejamento técnico, dentro de suas áreas de formação. Se formou em Ciências Contábeis, depois se especializou em Contabilidade Pública pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, e em seguida se especializou por dois anos na mesma área, na FECAAP, em SP. 

Uma cidade em pleno desenvolvimento

Com uma população estimada em pouco mais de 35 mil habitantes, Extrema está localizada no Sul de Minas Gerais, junto à Serra da Mantiqueira, às margens da Rodovia Fernão Dias e a apenas 100 Km das regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas. 

É uma cidade rica pela biodiversidade da Floresta Atlântica, e conta com um clima de montanha e paisagens num cenário natural de tirar o fôlego. Todo o território faz parte da Unidade da Conservação da Natureza – APA (Área de Proteção Ambiental) Fernão Dias e do conjunto de unidades de conservação Mosaico Mantiqueira. 

Foto Guia Turismo

É nesta região que o visitante encontra cenários privilegiados de Mata Atlântica com cachoeiras, nascentes, rios, montanhas, vales e parques municipais que permitem ao visitante se aventurar com os esportes radicais, caminhadas, a contemplação e bem-estar, dentre outras atividades de lazer junto à natureza.

Na economia, o município se destacou em diversos indicadores socioeconômicos nos últimos anos. Conquistou a primeira posição alcançada no Índice Mineiro de Responsabilidade Social da Fundação João Pinheiro – ano base 2010 (que considera as áreas de saúde, educação, segurança pública, finanças municipais, meio ambiente, esporte e turismo, renda, assistência social e cultura). 

Foto Divulgação/Prefeitura de Extrema

Além disso, foi classificada em primeiro lugar no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – edição 2015 – ano base 2013, que analisa anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os municípios brasileiros no que diz respeito aos itens emprego e renda, educação e saúde).

Artigos Relacionados

Como o prefeito Vantoil Martins quer tornar Iguaba Grande (RJ) uma cidade forte no turismo

Repleta de atrativos e belezas naturais a cidade de Iguaba Grande...

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Gestão e Tecnologia

Mantenha contato

Siga nosso Instagram